Professoras da UFMG criam guia de orientações de Fluxos de Atendimento pelo COVID-19 nas Unidades Básicas de Saúde

Com a pandemia pelo COVID-19, profissionais de saúde, em especial os enfermeiros (as), são a porta de entrada para as Unidades Básicas de Saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).
O SUS, é um sistema de saúde pelo qual preconiza atendimento universal e gratuito para todos, onde com o aparecimento dos casos em nosso país pelo COVID-19, enfermeiras (os) das equipes de Estratégia de Saúde da Família são responsáveis pela cobertura de até 80% dos casos, compondo a força tarefa para o combate a pandemia.
Pensando na importância das estratégias de organização, prevenção e controle da COVID-19, docentes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) criaram um “Guia de orientações para organização e fluxo nas Unidades Básicas de Saúde em tempo de Coronavírus” baseado em diretrizes disponíveis até o momento.
A avaliação de enfermagem é crucial para determinar o encaminhamento e nível de criticidade que o paciente se encontra. Casos leves do vírus, a enfermeira(o) deve ater-se quanto educação do paciente pelo isolamento domiciliar, nestes casos não será necessário testagem laboratorial, o paciente deverá seguir cuidados domiciliares para síndromes gripais e procurar atendimento caso haja piora do quadro.
O isolamento domiciliar é recomendado por 14 dias desde a data do início dos sintomas. Durante o atendimento, a equipe de saúde verá usar máscara cirúrgica e precaução padrão segundo as diretrizes disponíveis.


Casos de sintomatologia aguda, que apresentem complicações, o profissional deve se ater aos parâmetros de saturação (nível e oxigênio no sangue), padrão respiratório, sistema cardiovascular (pressão arterial, diminuição do pulso periférico) e estado mental como nível de consciência e se há presença de febre por mais de três dias.
Nos casos graves, o tratamento medicamentoso adequado deve iniciar-se conforme a prescrição médica e ações para estabilização do quadro do paciente. Será necessário coleta de exames e encaminhá-los para um Centro de Referência.
Ainda, pessoas com mais de 60 anos, principalmente as que conviverem com alguma doença crônica como hipertensão, diabetes, imunodeficiências, devem adotar medidas de restrição social e procurar os serviços de saúde apenas na presença de sintomas gripais. Neste momento de pandemia, pessoas pertencentes aos grupos de risco devem procurar serviços de saúde somente se necessário e reagendar consultas eletivas.

Acesse o material completo através do link: https://drive.google.com/file/d/1LBA-Qpev1vzTx0WvnffyT8tR97G1E6fa/view

Referência: Enfermagem UFMG

Disponível em: http://www.enf.ufmg.br/index.php/noticias/1739-em-tempo-de-coronavirus-professoras-criam-guia-de-orientacoes-para-organizacao-e-fluxos-nas-unidades-basicas-de-saude

Última modificação :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content