Livro on-line sobre a pandemia feito pelos alunos de Medicina da USP

Está disponível on-line e gratuitamente o livro Escrita Livre, que reúne 93 textos produzidos por alunos da Faculdade de Medicina da USP. A obra é resultado de um concurso literário promovido pelo Centro de Desenvolvimento de Educação Médica (Cedem) da Faculdade de Medicina, em parceria com o diretor da faculdade, professor Tarcísio Pessoa de Barros Filho, sob o tema “Quarentena”. O objetivo do concurso, realizado em maio passado, foi “manter o sentimento de pertencimento da comunidade FMUSP”, como se lê na introdução da obra. 

Desses textos, três foram premiados no concurso. Houve também seis menções honrosas. O texto que levou o primeiro lugar foi Pós-Brasil, de Johnatan Padovez Gonçalves, que retrata a realidade de viver em meio à pandemia a partir dos pontos de vista de diversos brasileiros, desde os isolados até os que não têm escolha senão sair de casa e se expor ao risco para trabalhar. Cinema Mudo, de Fernando Sarin da Mota e Albuquerque, levou o segundo lugar. Ele aborda o cotidiano de um senhor que, isolado, transforma o dia a dia das pessoas que vê pela janela de seu apartamento em seu entretenimento diário, e acaba criando uma amizade curiosa com uma delas. Em terceiro lugar ficou o poema A Busca Pela Flor da Sanidade, de Matteo Celano Ebram. Em três partes, os versos de Ebram contam a história de um viajante que, acometido pelo “Mal”, sai em busca de uma flor mística, que segundo o curandeiro de sua aldeia aliviará sua aflição.

Dentre os seis textos que receberam menções honrosas está o artigo sem título de Luísa Yen. Nele, Luísa cria um conto de fadas moderno, contando a história de uma menina que precisa aprender a lidar com a passagem do tempo enquanto isolada em casa. Também entre as menções honrosas está o poema Submarino Amarelo, de Pedro Franca de Figueiredo, que também fala sobre o tempo, comparando a casa em que se isola ao “submarino amarelo” cantado pelos Beatles, dentro do qual, segundo o autor, os dias são indiferenciáveis.

Outros textos submetidos ao concurso não foram premiados, mas também constam no livro. Um deles é A Quarentena é Tão Bela Quanto a Vênus de Milo, de Haldo Lito, que, a partir da comparação entre o isolamento e a estátua sem braços, embarca em um monólogo que reflete o estado quase esquizofrênico induzido pela solidão da quarentena. No livro encontra-se também História de uma Família na Quarentena, de Julia Prado Avancini, um poema gráfico divertido e reflexivo, que representa a casa e as interações entre seus moradores como versos em um quadro. A foto da capa do livro é de autoria do aluno Gabriel Guimarães, do quinto ano da Faculdade de Medicina. 

Clique aqui para ter acesso ao livro.

Fonte: Jornal da USP

Última modificação :

Guia em português para cuidados contra o câncer durante a pandemia

Especialistas da American Society of Clinical Oncology (ASCO) revisaram uma ampla gama de políticas e práticas adotadas por instituições oncológicas, entidades médicas e agências governamentais ao redor do mundo para a retomada segura do atendimento aos pacientes – e, por meio de uma parceria com a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), esse guia chega ao Brasil totalmente em português.

O relatório descreve medidas imediatas e de curto prazo que as clínicas oncológicas podem tomar para proteger a segurança dos pacientes e da equipe de saúde enquanto a resposta à pandemia continua. O objetivo, conta o documento, é que as orientações garantam mais confiança na determinação de quando e como retomar as operações habituais.

Para a presidente da SBOC, Dra. Clarissa Mathias, a publicação em português evidencia a relevância da parceria da entidade brasileira com a ASCO. “Essa ponte construída entre as comunidades da oncologia clínica do Brasil e dos Estados Unidos tem trazido uma série de benefícios mútuos, inclusive educacionais, evidenciados pelo interesse da ASCO em publicar em português do Brasil alguns de seus principais materiais – em especial, este guia para os tempos de pandemia, um desafio que ambos os países têm enfrentado com sérias dificuldades”, destaca.

Além da revisão narrativa das orientações científicas e de agências internacionais, o guia traz exemplos clínicos de membros da ASCO. De acordo com o vice-presidente para Ensino da Oncologia da SBOC, Dr. Rodrigo Munhoz, “esse contato com experiências tão diversas fortalece nossa comunidade num momento de grandes incertezas. A iniciativa da ASCO está em consonância com ações da SBOC e certamente irá somar esforços na rotina do oncologista”.

Entre outros temas, o material conta ainda com informações detalhadas sobre:

  • Condução de processos de triagem;
  • Manejo de pacientes sob investigação de sorologia;
  • Controle e prevenção;
  • Recursos e suprimentos;
  • Considerações sobre as instalações físicas;
  • Horário de funcionamento;
  • Planejamento para surto de COVID-19;
  • Protocolos de saneamento;
  • Serviços de apoio;
  • Educação sobre saúde e segurança do paciente;
  • Telemedicina;
  • Radiação;
  • Cirurgias;
  • Estudos clínicos

“Trata-se de um excelente guia que se junta ao material já produzido e difundido pela SBOC para que o oncologista clínico e seus pacientes não se sintam desamparados ao longo da pandemia e do enfrentamento de dois grandes desafios, o câncer e o novo coronavírus”, destaca o diretor executivo da entidade, Dr. Renan Clara.

Acesse o Guia aqui

Fonte: Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica

Última modificação :

Vídeos ensinam pais no tratamento comportamental para crianças com autismo

Material criado pela Agência FAPESP orienta como fazer com que as crianças com autismo olhem para as pessoas e observem também o que acontece ao redor delas. Os vídeos estão disponíveis para serem usados sem custo.

Assista ao vídeo:

Fonte: Agência FAPESP

Última modificação :

Fiocruz lança vídeos em Libras sobre pandemia de Covid-19

Os vídeos sobre a pandemia de Covid-19 estão com legendas, narração e interpretação em Língua Brasileira de Sinais (Libras)

Com o objetivo de garantir o direito à comunicação e informação e em acordo com a Política da Fiocruz para Acessibilidade e Inclusão das Pessoas com Deficiência, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) vem ampliando a criação de vídeos com medidas de acessibilidade. A instituição lançou vídeos acessíveis relacionados à pandemia do novo coronavírus SARS-CoV-2, com narração, legenda e interpretação em Língua Brasileira de Sinais (Libras). São entrevistas, coberturas de eventos, orientações gerais à população e muitas outras produções. Informe-se e compartilhe conteúdo de qualidade sobre a Covid-19.

Toda essa produção tem sido reunida na área especial sobre o novo coronavírus do Portal Fiocruz e também na Biblioteca Virtual de Saúde da instituição (BVS Fiocruz), por meio de ações do Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação em Saúde do Instituto de Comunicação e Informação Tecnológica em Saúde (CTIC/Icict), e do Grupo de Trabalho sobre Acessibilidade da unidade (GT Acessibilidade Icict).

A implementação de tradução para Libras, de legendagem e áudio está entre as medidas já adotadas pela Fiocruz em seus materiais audiovisuais sobre o novo coronavírus. A instituição vem fortalecendo suas práticas informacionais e comunicacionais para serem mais inclusivas, em acordo com sua política institucional para acessibilidade e inclusão das pessoas com deficiência e sua política de comunicação, e, ao todo, já são cerca de 70 vídeos com recursos de acessibilidade sobre Covid-19 e a produção nas unidades da Fundação continua, conforme ressalta Luciane Ferrareto, coordenadora do Projeto Empregabilidade Social da Pessoa Surda, da Cooperação Social da Presidência da Fiocruz.

Acesse todos os vídeos em Libras sobre a pandemia clicando aqui.

Fonte: Conselho Nacional de Saúde

Última modificação :

Grupo da UFPI cria manual de Libras para seus alunos

Um grupo da Universidade Federal do Piauí (UFPI) elaborou um manual para ajudar estudantes surdos nas escolas. Batizado de “Manual de Libras para Ciências: A Célula e o Corpo Humano”, o material digital contém ilustrações e uma linguagem adaptada em libras.

Manuais como esse não existiam antes e devem auxiliar professores durante aulas ministradas a alunos surdos, assim como a comunidade surda em geral.

O material é gratuito para todos e pode ser encontrado neste link: https://www.ufpi.br/e-book-edufpi

Fonte: Gazeta Web

Última modificação :

Coronavírus por Dona Ciência

Olá! Eu sou a Dona Ciência e tenho várias histórias interessantes para contar a vocês!
Em cada gibi vou mostrar como a sociedade é beneficiada com as descobertas feitas pelos cientistas!

Neste gibi vou contar um pouco sobre o que, desde dezembro de 2019, está infectando milhares de pessoas em várias partes do mundo, como é a infecção e o que podemos fazer.

Última modificação :

Vídeo para aprender as manobras de esvaziamento intestinal

Este vídeo foi editado a partir do vídeo da dissertação de mestrado da enfermeira Laura Terenciani Campoy, orientado pela Profª Drª Soraia Assad Nasbine Rabeh, intitulado “Reabilitação intestinal de indivíduos com lesão medular: produção de material para intervenção educativa”, realizado na Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Tem como objetivo de demonstrar as manobras de esvaziamento intestinal.

Assista ao vídeo:

Responsáveis pela edição do vídeo: Fabiana Faleiros Santana Castro, Soraia Assad Nasbine Rabeh e Laura Terenciani Campoy.

Última modificação :

O que fazer quando seu bebê engasgar?

A Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP publicou uma cartilha voltada para famílias com crianças menores de um ano de idade, quando são mais propensas a engasgos. O que fazer quando seu bebê engasgar? é toda ilustrada com imagens e passo a passo detalhada de ações a tomar. As instruções vão da chamada para a emergência até os primeiros socorros que devem ser realizados ainda em casa.

A publicação é resultado do trabalho de conclusão de curso (TCC) em Enfermagem de Sabrina Bonetti, apresentado à EERP em dezembro de 2016. Ela notou a falta de materiais educativos nessa área e verificou que o Corpo de Bombeiros de Ribeirão Preto atende grande número de ocorrências desse tipo com bebês.

A então aluna levou essa preocupação à sua professora e orientadora Fernanda Góes e resolveram desenvolver uma cartilha científica. O resultado foi um material com conteúdo confiável e seguro para ser divulgado para a população.

“Talvez o simples fato de ler ou ter a cartilha em casa possa ajudar os pais e familiares a socorrer seu bebê ou mesmo saber como pedir ajuda”, comenta a professora Fernanda.

O trabalho foi validado por professores de enfermagem, enfermeiros e médicos que atuam na área de resgate. Segundo a orientadora do trabalho, a literatura científica ainda não possui nada parecido com isso. Todas as informações contidas na cartilha estão de acordo com a última atualização das diretrizes para ressuscitação cardiopulmonar (RCP).

Acesse a cartilha completa aqui.

Patrocinador para cartilha impressa

A cartilha está disponível no site da EERP para os que desejarem fazer download. Mas tanto aluna quanto orientadora estão à procura de potenciais patrocinadores para a impressão da cartilha, que deverá ser distribuída gratuitamente em postos de saúde, escolas e creches. Para ser um patrocinador, entre em contato pelo telefone (16) 3315-3417.

Mais informações: e-mail [email protected]

Stella Arengheri, de Ribeirão Preto.

Fonte: Jornal da USP

Última modificação :

Programa de videoaulas ensina exercícios funcionais para pessoas com deficiência

Com foco no público que está em casa devido às medidas de isolamento social, uma série videoaulas de exercícios funcionais voltados para pessoas com deficiência está sendo divulgada pela Prefeitura de Belo Horizonte pela rede social Youtube

Desenvolvido pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, o programa “Superar em Casa” publicará duas videoaulas com conteúdo inédito a cada semana. As primeiras sessões já estão no ar. Confira em Aula funcional 1 e Aula funcional para cadeirantes 1

Segundo o executivo municipal, são aulas com duração média de 12 a 15 minutos, sendo uma de funcional e outra de funcional para cadeirantes (estes terão uma sessão específica para eles). Todas elas ministradas pelo professor Alexandre, conhecido como Tio Careca.

O “Superar em Casa” faz parte do programa “Superar”, que promove a inclusão social da pessoa com deficiência por meio de atividades físicas, esportivas e de lazer. Até ser suspenso por tempo indeterminado devido à Covid-19, o programa atendia 900 usuários em dois centros de referência e sete núcleos em Belo Horizonte. 

“Nesse momento difícil para toda a população, em especial para idosos e pessoas com deficiência, as videoaulas são importantes para a saúde física e mental, atenuando os efeitos desse isolamento. Estamos estudando e desenvolvendo videoaulas também para outros programas”, afirma o secretário municipal de Esportes e Lazer, Elberto Furtado.

Fonte: Paulo Henrique Silva – Hoje em dia

Última modificação :

Skip to content