Unesp disponibiliza vídeos gratuitos sobre diversidade

Educando para a Diversidade é um programa que busca realizar diálogos sobre a diversidade a partir de seus vários aspectos, como o étnico, cultural e de gênero, além de promover as ações afirmativas realizadas pela universidade. A cada episódio um tema será discutido e refletido com a ajuda de pesquisadores de diferentes áreas e de personagens que relatem suas vivências.

O projeto faz parte da Política Institucional de Enfrentamento à Violência e pela Cultura de Paz da Universidade Estadual Paulista, apoiado pelo Convênio Unesp/Santander e tem como objetivo fomentar discussões para a construção de uma sociedade mais empática.

São 20 episódios do programa que trazem reflexões sobre inclusão e diversidade. A temática tem propiciado debates por meio de pesquisas, extensão e produtos comunicacionais que apresentam o tema à sociedade e sensibilizam sobre as questões de direitos humanos e tolerância.

A programação completa está disponível no site da TV Unesp, disponível aqui

Fonte: TV UNESP

Última modificação :

Vídeo para aprender as manobras de esvaziamento intestinal

Este vídeo foi editado a partir do vídeo da dissertação de mestrado da enfermeira Laura Terenciani Campoy, orientado pela Profª Drª Soraia Assad Nasbine Rabeh, intitulado “Reabilitação intestinal de indivíduos com lesão medular: produção de material para intervenção educativa”, realizado na Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Tem como objetivo de demonstrar as manobras de esvaziamento intestinal.

Assista ao vídeo:

Responsáveis pela edição do vídeo: Fabiana Faleiros Santana Castro, Soraia Assad Nasbine Rabeh e Laura Terenciani Campoy.

Última modificação :

Programa de videoaulas ensina exercícios funcionais para pessoas com deficiência

Com foco no público que está em casa devido às medidas de isolamento social, uma série videoaulas de exercícios funcionais voltados para pessoas com deficiência está sendo divulgada pela Prefeitura de Belo Horizonte pela rede social Youtube

Desenvolvido pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, o programa “Superar em Casa” publicará duas videoaulas com conteúdo inédito a cada semana. As primeiras sessões já estão no ar. Confira em Aula funcional 1 e Aula funcional para cadeirantes 1

Segundo o executivo municipal, são aulas com duração média de 12 a 15 minutos, sendo uma de funcional e outra de funcional para cadeirantes (estes terão uma sessão específica para eles). Todas elas ministradas pelo professor Alexandre, conhecido como Tio Careca.

O “Superar em Casa” faz parte do programa “Superar”, que promove a inclusão social da pessoa com deficiência por meio de atividades físicas, esportivas e de lazer. Até ser suspenso por tempo indeterminado devido à Covid-19, o programa atendia 900 usuários em dois centros de referência e sete núcleos em Belo Horizonte. 

“Nesse momento difícil para toda a população, em especial para idosos e pessoas com deficiência, as videoaulas são importantes para a saúde física e mental, atenuando os efeitos desse isolamento. Estamos estudando e desenvolvendo videoaulas também para outros programas”, afirma o secretário municipal de Esportes e Lazer, Elberto Furtado.

Fonte: Paulo Henrique Silva – Hoje em dia

Última modificação :

Folha informativa – COVID-19

  • A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou, em 30 de janeiro de 2020, que o surto da doença causada pelo novo coronavírus (COVID-19) constitui uma Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional – o mais alto nível de alerta da Organização, conforme previsto no Regulamento Sanitário Internacional. Em 11 de março de 2020, a COVID-19 foi caracterizada pela OMS como uma pandemia.
  • Foram confirmados no mundo 4.618.821 casos de COVID-19 (93.324 novos em relação ao dia anterior) e 311.847 mortes (4.452 novas em relação ao dia anterior) até 18 de maio de 2020.
  • A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e a OMS estão prestando apoio técnico ao Brasil e outros países, na preparação e resposta ao surto de COVID-19.
  • Medidas de proteção: lavar as mãos frequentemente com água e sabão ou álcool em gel e cobrir a boca com o antebraço quando tossir ou espirrar (ou utilize um lenço descartável e, após tossir/espirrar, jogue-o no lixo e lave as mãos).
  • Se uma pessoa tiver sintomas menores, como tosse leve ou febre leve, geralmente não há necessidade de procurar atendimento médico. O ideal é ficar em casa, fazer autoisolamento (conforme as orientações das autoridades nacionais) e monitorar os sintomas. Procure atendimento médico imediato se tiver dificuldade de respirar ou dor/pressão no peito.

-Informações do Ministério da Saúde do Brasil: https://coronavirus.saude.gov.br/

-Unidades Básicas de saúde e hospitais de referência, por estado e município brasileiro: https://coronavirus.saude.gov.br/sobre-a-doenca#hospitais-referencia

Fonte: OPAS Brasil

Última modificação :

Float

Float é um dos três novos curtas originais da Pixar que estreou em 12 de novembro – Float não tem nem seis minutos de duração. O animador da Pixar, Bobby Rubio, que escreveu, dirigiu e produziu o filme com base em seu próprio relacionamento com o filho.A história em si não fala sobre autismo e, sem dúvida, pode se aplicar a qualquer pai ou pessoa que tenha um membro da família que seja “considerado diferente”. Em Float , o pai percebe que seu filho bebê flutua. Não é perigoso, necessariamente, mas é muito perceptível, e outros pais de crianças que não flutuam acham estranho e errado. Então, o pai tenta impedir o filho de flutuar. Ele o mantém dentro de casa,  enquanto cresce. Quando eles saem, ele tem seu filho na coleira e com sua mochila cheia de pedras. Um dia, seu filho foge e flutua pelo playground. A criança está feliz, mas os outros pais no parquinho não. O pai arrasta o filho que grita para longe e, em um momento de frustração, exclama – no único momento de diálogo do curta – “Por que você não pode simplesmente ser normal ?!”Quando o pai percebe o quanto essa exclamação machuca o filho, ele se envergonha. Em vez de segurar o filho para proteger dos pais de crianças que não flutuam, ele deixa o filho flutuar livremente. O curta termina com uma dedicação de Rubio, que diz: “Para Alex. Obrigado por me tornar um pai melhor. Dedicado com amor e compreensão a todas as famílias com crianças consideradas diferentes.

Última modificação :

Reabilitação intestinal de indivíduos com intestino neurogênico

Este vídeo foi fruto de uma dissertação de mestrado da enfermeira Laura Terenciani Campoy, orientado pela Profª Drª Soraia Assad Nasbine Rabeh, intitulado “Reabilitação intestinal de indivíduos com lesão medular: produção de material para intervenção educativa”, realizado na Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Tem como público-alvo os indivíduos com intestino neurogênico e seus cuidadores, com o objetivo de demonstrar as manobras de esvaziamento intestinal utilizadas na reabilitação de indivíduos com intestino neurogênico.

Acesse o vídeo aqui

Saiba mais em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-28012016-155419/pt-br.php

Última modificação :

Autocateterismo urinário intermitente limpo

Trata-se de um vídeo educativo desenvolvido e validado por especialistas visando a capacitação para a técnica do autocateterismo urinário/vesical intermitente limpo para pessoas com bexiga neurogênica. Resultado de uma dissertação de mestrado da enfermeira Cibele Dias Cucick, orientado pela Profª Drª Fabiana Faleiros, intitulada “Desenvolvimento de video educativo para a aprendizagem do autocateterismo vesical intermitente”, realizada na Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Acesse o vídeo clicando aqui.

Saiba mais em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22132/tde-06052016-165200/pt-br.php

Última modificação :

Skip to content