ONU lançou alerta mundial sobre as pessoas com deficiência e o coronavírus

Para enfrentar a pandemia é crucial que as informações sobre como prevenir e conter a doença sejam acessíveis a todos.

Na última terça-feira (17), a Organização das Nações Unidas (ONU) lançou um alerta mundial sobre o COVID-19, o novo coronavírus. O anúncio foi feito pela relatora especial sobre direitos das pessoas com deficiência, Catalina Devandas, em Genebra, chamando atenção das autoridades sobre as pessoas com deficiência.

A relatora da ONU chamou a atenção de governantes em todo o globo sobre a maior responsabilidade com essa população por causa da discriminação estrutural que enfrentam, enfatizou que é fundamental estabelecer protocolos para emergências de saúde pública para garantir que pessoas com deficiência não sejam discriminadas no acesso à saúde, “incluindo medidas que salvam vidas”.

“Para enfrentar a pandemia, é crucial que as informações sobre como prevenir e conter o coronavírus sejam acessíveis a todos”, disse a especialista.

“As campanhas de informação pública e as informações fornecidas pelas autoridades nacionais de saúde devem estar disponíveis em língua de sinais, formas, meios e formatos acessíveis, incluindo tecnologia digital, legendas, serviços de retransmissão, mensagens de texto, leitura fácil e linguagem simples. ”

O texto vem ao encontro do que a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPED), da Prefeitura de São Paulo, vem trabalhando para obter na cidade. “Pessoa com deficiência também está no grupo de risco”, declara Cid Torquato, secretário da pasta.

Todas as orientações do Ministério da Saúde, e de outros órgãos não mencionaram até agora os cuidados com as pessoas com deficiência e seus cuidadores. Para ajudar a população, a SMPED tem divulgado informações em suas redes sociais sobre prevenção e cuidados e está atenta ao tema.

Segundo censo do IBGE, com dados revistos em 2017, temos no Brasil cerca de 16 milhões de pessoas com deficiência. Mas, acreditamos que cerca de 10% da população, segundo a própria ONU, seja pessoa com deficiência. Na cidade de São Paulo são 1 milhão de pessoas.

A pessoa com deficiência é um seguimento da população sujeito a maior risco, sobretudo, em razão das fragilidades físicas, notadamente aquelas que resultam em insuficiência e/ou dificuldade respiratória.

Pessoas com condições genéticas ou neurológicas que tomam remédios específicos têm restrições respiratórias ou dificuldades profundas de comunicação, precisam ser monitoradas com atenção redobrada.

Essa recomendação é voltada principalmente para quem tem sequelas graves provocadas por paralisia cerebral, síndrome de Down, Transtorno do Espectro Autista (TEA), Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), Atrofia Muscular Espinhal (AME), Esclerose Múltipla (EM), distrofias musculares e outras semelhantes.

Fonte: Secretaria Especial de Comunicação, Cidade de São Paulo

Acesse a matéria na íntegra clicando aqui

Última modificação :

Vídeo orienta pessoas com deficiência sobre higienização

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos divulgou nesta quinta – feira (19) um vídeo com orientações de higiene para as pessoas com deficiência e alertas para evitar a contaminação e disseminação do novo coronavírus. A preocupação se dá especialmente em razão de este público utilizar ferramentas para locomoção, como muletas e cadeiras de rodas.

Acesse o vídeo clicando aqui


A titular da pasta, ministra Damares Alves, lembrou que as “pessoas com deficiência também estão em risco, usam as mãos para se comunicar, ou se locomover além de usarem próteses e precisam ficar atentas à higienização”.

No vídeo, a secretária nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Priscilla Gaspar, esclarece que é necessária a limpeza dos equipamentos de uso pessoal. “As pessoas que utilizam cadeira de roda colocam a mão no aro, então é importante que se faça a higienização”, explicou.

Assim como aqueles que utilizam prótese ou órtese, muletas, andadores ou bengalas… “É muito importante fazer essa limpeza para que não tenham contato com nenhum tipo de vírus”, diz Priscilla.  Outro grupo que causa preocupação são os deficientes auditivos, que precisam utilizar as mãos para se comunicar. Na comunicação em libras as pessoas tocam no rosto, por exemplo, portanto a higienização e limpeza correta das mãos é de fundamental importância. 

Fonte: Notícias R7


Última modificação :

Biblioteca Mário de Andrade em SP transforma textos em áudio

A Prefeitura de São Paulo por meio da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPED) e da Secretaria Municipal da Cultura (SMC) disponibilizaram o óculos Orcam MyEye para a Biblioteca Mario de Andrade.
Estes óculos possuem um scanner que lê os mais variados tipos de textos, códigos de barras, entre outros e os converte em áudio. O dispositivo funciona não apenas com livros, mas também com revistas, jornais, placas de rua, cardápios, mensagens e celular e folhetos.


É uma tecnologia assistiva para pessoas com deficiência visual terem acessibilidade e autonomia para disfrutarem dos livros das bibliotecas municipais que estão sendo contempladas nestas ações de inclusão.
Os sites das bibliotecas também estão incorporando acessibilidade comunicacional, promovendo recursos de autodescrição das páginas para pessoas com deficiência visual e, para pessoas com deficiência auditiva, com a tradução automática de texto e voz para a Língua Brasileira de Sinais com o aplicativo Hand Talk com intérprete 3D.

Referência: Prefeitura de São Paulo

https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/pessoa_com_deficiencia/noticias/?p=292667

Última modificação :

O D+Informação ganhou certificação internacional!

O nosso portal D+Informação conquistou a certificação internacional do HONcode!

Isso significa que as informações que divulgamos no portal são confiáveis, claras e baseadas em evidencias científicas. Além da qualidade das informações, certificamos a segurança dos nossos usuários, pois não utilizamos os seus dados de navegação para fins comerciais ou publicitários.
Essa certificação, é uma iniciativa da Fundação Health on the Net criada em Genebra-Suíça, que promove códigos de conduta para a divulgação de informações sobre saúde na internet.
Mas o que isto quer dizer?
A certificação HONcode no D+Informação, é uma garantia de que seus dados cadastrados estão seguros e as informações divulgadas em nosso Portal são todas de qualidade e baseadas em evidências científicas!
Saiba um pouco mais sobre os princípios do HONcode:
Autoritário – qualquer orientação médica ou de saúde será fornecida por profissionais qualificados
Complementaridade – as informações disponibilizadas devem ser de cunho apoiador e não de substituição da relação médico/visitante do site.
Privacidade – confidencialidade dos dados dos usuários do website
Atribuição – as informações do website serão baseadas em referencias claras e dados de origem, dispondo links específicos para estes acessos.
Justificabilidade – reclamações relacionadas a algum tratamento, produto ou serviço serão tratadas por evidencias adequadas de maneira descrita ao princípio anterior.
Transparência – as informações serão fornecidas de forma clara e dispor de endereços de contato para mais informações ou suporte ao leitor.
Divulgação financeira – o suporte do website será claramente identificado, incluindo organizações parceiras que contribuam com o financiamento e manutenção do site.
Política de publicidade – a publicidade que estiver relacionada a financiamento deverá estar claramente indicada. A publicidade e outros materiais promocionais serão apresentados de maneira que facilitem a diferenciação entre eles e os materiais originais criados pela instituição que opera o site.

Mais informações em: https://www.hon.ch/HONcode/

Última modificação :

Carnaval como instrumento de inclusão social de pessoas com deficiência

A inclusão social vem sendo mais discutida na sociedade e a literatura PSI aponta crescente atuação das empresas em programas voltados a essa temática. O objetivo deste estudo foi avaliar o Projeto Embaixadores da Alegria, que usa o Carnaval como instrumento de inclusão social. A pesquisa multimétodo (pesquisa documental, questionário e entrevistas) contemplou 538 pessoas, incluindo beneficiários, familiares, membros da comunidade, gestores, financiadores e executores do Projeto. O delineamento foi de um quase-experimento que verificou se a participação no programa aumentava a percepção de inclusão social. Os resultados do teste permitem concluir que o Projeto atende apenas parcialmente aos seus objetivos, pois não houve diferenças significativas em relação à favorabilidade à inclusão escolar entre grupo de tratamento e grupo controle. De forma complementar, na análise de conteúdo, foram identificadas cinco categorias relacionadas a aspectos processuais e de resultados do projeto, a saber: (i) participação da família; (ii) formas de comunicação; (iii) mobilidade; (iv) trabalho e geração de renda; e (v) inclusão social. Os achados da pesquisa foram debatidos a partir do referencial teórico. São feitas recomendações para o Projeto e sugestões de novos estudos.

Referência:

RIBEIRO, J. E.  e  MOURAO, L. Carnaval como instrumento de inclusão social de pessoas com deficiência. Estud. pesqui. psicol. [online]. 2016, vol.16, n.3, pp. 736-756. ISSN 1808-4281.

Disponível em:

http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1808-42812016000300005&lng=pt&nrm=iso

Última modificação :

Consultoria empresarial para inclusão de PcDs

Talento Incluir é uma consultoria fundada por Carolina Ignarra desde 2008, após um acidente de moto que a deixou com paraplegia. Formada em educação física, Carolina tem como meta trabalhar para que no futuro, as cotas empresariais para pessoas com deficiência não tenham necessidade de existir mais.
Segundo a empreendedora, as cotas estimulam os clientes a procurar os serviços, no entanto, a consultoria empresarial está voltada a inclusão, ou seja, ao envolvimento de todos da empresa. Com isso, a contratação de uma pessoa com deficiência seria apenas uma consequência e não norma para cumprimento de cotas.
PcDs possuem oportunidades de empregos e cargos limitados, fazendo-se necessário a disseminação da cultura inclusiva. Com a atuação da Talento Incluir, cerca de 300 empresas atendidas nos mais de 10 anos de atuação, 7 mil profissionais com deficiência foram admitidos e um banco de currículos de 40 mil PcDs.
A ideia é expansão. Investir na tecnologia como forma de melhorar o ambiente de trabalho não só para quem possui alguma deficiência, é diminuir barreiras.

Fonte: G1

Acesse clicando no link: https://g1.globo.com/especial-publicitario/vae/noticia/2020/01/23/consultoria-ajuda-empresas-a-incluir-pessoas-com-deficiencia.ghtml

Última modificação :

Reabilitação profissional e vagas para PcDs

Proposta de alteração das regras de reabilitação profissional pelo projeto da Lei 6159/19 altera a Lei de Cotas para Pessoas com Deficiência (PcDs).
Espera-se com esta mudança, promover até o ano de 2022, reabilitação física e habilitação profissional de 1 milhão de pessoas que atualmente recebem o benefício por incapacidade.
Atualmente, as cotas para PcDs é de 2 a 5% para empresas com cem ou mais funcionários, e segundo o governo, apenas metade das vagas asseguradas pela lei estão preenchidas.
A Habilitação e Reabilitação profissional, passa a ser, com a proposta da Lei 6159/19, política integrante do regime geral da previdência social em resposta às incapacidades relacionadas a acidentes, doenças profissionais e deficiências. Deverá incluir, atendimento com tecnologia assistiva, qualificação profissional e reabilitação física.
Ainda, 50% do valor do Benefício de Prestação Continuada (BPC) será voltado para o auxílio inclusão de PcDs que exerçam atividades com remuneração de até dois salários mínimos e se enquadrem nas condições de segurado obrigatório do regime de Previdência Social.

Fonte: Câmara dos Deputados – reportagem de Ralph Machado

Link para acesso: https://www.camara.leg.br/noticias/620630-proposta-altera-regras-para-reabilitacao-profissional-e-contratacao-de-pessoa-com-deficiencia/

Última modificação :

Piscina acessível

A Prefeitura de São Paulo em parceira com a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPED) e a Secretaria de Esportes e Lazer (SEME) reformou 29 elevadores de piscinas municipais de centros esportivos da Capital, onde será reinaugurado no dia 23 de janeiro de 2020 no evento do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa. O evento contará com a participação de atletas da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente), atletas da Associação JR (Associação Paradesportiva JR) e ACDEP (Associação Cultural Especial Paradesportiva Paulista).
Segundo os dados do IBGE de 2017, cerca de 1 milhão de pessoas se declararam com alguma deficiência. Estes dados, para o Secretário Municipal da pessoa com deficiência, Cid Torquato, estimula o uso de espaços públicos acessíveis.
Entre os centros esportivos que realizaram a reforma estão:

• CE Imirim;
• CE Ibirapuera
• CE Ipiringa
• CE Barra Funda
• CE Cambuci
• CE Lapa
• CE Pirituba
• CE Jaguaré
• CE Butantã
• CE JD Celeste
• CE Campo Limpo
• CE Sto Amaro: (2 elevadores)
• CE V. Sabará
• CE V. Sta Catarina
• CE V. Guarani
• CE V. Manchester
• CE São Matheus
• CE V. Curuçá
• CE Ermelino Matarazzo
• CE Mandaqui
• CE Santana
• CE Tatuapé
• CE Jaçanã
• CE Vila Maria
• JD São Paulo e CE Mooca.

Fonte: Cidade de São Paulo

Link para acesso: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/pessoa_com_deficiencia/noticias/?p=291640

Última modificação :

O “poderzinho” da Amora

Essa é uma das frases do lindo relatório de fim de ano escolar da Amora, feito pela professora.
Nós sempre falamos que a Amora tem o poderzinho de fazer as pessoas sorrirem. Quando alguém se diz encantado por ela, já falamos “é o poderzinho dela”.

E ontem, na nossa primeira reunião de fim de ano letivo, sentimos que ela espalha esse poderzinho por onde passa.
Eu, que antes morria de medo dessas reuniões e avaliações, fui tranquila, mas sem querer pensar muito.
Eu já sabia de todo o desenvolvimento que a escola trouxe para a Amora, mas não sabia o que estava por trás disso.
A tia @kynicaires fez um trabalho fantástico adaptando algumas atividades para que a Amora se acostumasse com o ambiente e rotina da escola. Eu sentei ali e, enquanto ela falava, só conseguia pensar em quanta sorte nós tivemos.
Nossa Amorinha se saiu muito bem esse ano! Melhorou sua comunicação, postura e até sua alimentação. Adora histórias, rodas de música e brincar na rede.
Fiquei muito emocionada com tudo, mas o que mais me tocou foi a relação da Amora com os amigos. As crianças foram fundamentais para que ela se desenvolvesse tanto e, em troca desse aprendizado, Amora proporcionou a eles mais empatia e companheirismo.
Ficou claro para nós que esse lindo trabalho deu certo por ter o empenho de todos – escola, AT, terapeutas e familiares.
A inclusão da Amora foi abraçada por cada um que participou dese processo. Pelos pais, avós e tias que me encontravam na saída e falavam “como a Amora tá bem!”. Pelos amigos que a defendem e a incentivam, que me levam a ela eufóricos, dizendo “tia, vem ver a Amora sentada sozinha”.
É uma sensação incrível saber que nossa filha está se desenvolvendo em meio a tanto amor.
Obrigada Kyni e @psi.mariaeugenia ! Obrigada @buriti.escola.waldorf !

Fonte: Agda, mãe da Amora.

Última modificação :

Crianças cegas apresentam projetos de robótica em Goiânia

Iniciativa faz parte de mostra pedagógica que acontece no Cebrav (Centro Brasileiro de Reabilitação e Apoio ao Deficiente Visual).
A turma formada por alunos do ensino fundamental e médio, teve inicio desde fevereiro deste ano, onde tiveram aulas de física, matemática, computação, mecanismos de engenharia e inglês.
Os projetos desenvolvidos se referem a uma cidade acessível, com balanços para cadeirantes, piso tátil, desbloqueio de congestionamento e muito mais, onde foram apresentados na II Mostra Pedagógica do Cebrav, em Franca.

Fonte: Diário da Manhã.

Acesse aqui .

Última modificação :

Skip to content