Reabilitação vesical pós câncer de próstata

O câncer de próstata é o tipo mais comum entre os homens no Brasil, sem considerar o câncer de pele não melanoma. Estimativas indicam cerca de 68.220 novos casos para cada ano do biênio 2018-2019, sendo maior a prevalência em homens acima dos 55 anos de idade (INCA, 2018). 

Os fatores de risco para o desenvolvimento deste tipo de câncer são sobrepeso e obesidade e histórico de câncer de próstata entre parentes próximos. A importância em manter hábitos saudáveis como boa alimentação, praticar atividade física, evitar o uso de álcool e cigarro, são medidas para prevenir todos os tipos de câncer, inclusive o de próstata (INCA, 2017). 

Os sintomas deste tipo de câncer envolvem: dificuldade para urinar, demora ou hesitação para começar a urinar, presença de sangue na urina, diminuição do jato da urina e necessidade de urinar mais vezes do que o de costume, inclusive no período da noite (INCA, 2017; INSTITUTO ONCOGUIA, 2018). 

Para o diagnóstico do câncer de próstata, deve-se consultar o urologista que realizará o toque retal para avaliar o tamanho, forma e textura da próstata; realizar o exame de PSA. Este exame, quando alterado, não indicará necessariamente que a pessoa está com câncer; no entanto, a qualquer alteração deverá ser solicitada uma biópsia,a qual indicará se é uma doença benigna, ou maligna (câncer) (INCA, 2017).  

O tratamento para este tipo de câncer envolve, muitas vezes, a retirada cirúrgica da próstata (prostatectomia radical). Este tipo de intervenção, pode levar a efeitos colaterais como a incontinência urinária e a disfunção erétil. Nesse caso, a reabilitação precoce, poderá amenizar os sintomas da incontinência, proporcionando maior conforto à pessoa (ANDRADE, 2019).  

A reabilitação pós-prostatectomia radical, consiste em exercícios para fortalecimento dos músculos do assoalho pélvico (cinesioterapia), através da contração destes músculos para melhora da performance do esfíncter da uretra e, se necessário, uso de correntes elétricas de baixa intensidade para estímulos destes músculos. O tempo de reabilitação dura de 2 a 3 meses, e se os exercícios forem seguidos corretamente, poderão proporcionar uma recuperação mais rápida do controle urinário (ANDRADE,2019). 

Referências: 

ANDRADE, C.E.L.C. Fisioterapia na prostatectomia radical. OncoFisio. Acesso em 11/11/2019. Disponível em: http://www.oncofisio.com.br/fisioterapia-na-prostatectomia-radical 

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ DE ALENCAR GOMES DA SILVA (INCA). Câncer de próstata: vamos falar sobre isso?. Cartilhas, 2017. Acesso em: 11/11/2019. Disponível em: https://www.inca.gov.br/publicacoes/cartilhas/cancer-de-prostata-vamos-falar-sobre-isso 

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ DE ALENCAR GOMES DA SILVA (INCA). Estimativa Incidência de Câncer no Brasil, 2018. Acesso em: 11/11/2019. Disponível em: http://www1.inca.gov.br/estimativa/2018/sintese-de-resultados-comentarios.asp 

INSTITUTO ONCOGUIA. Fisioterapia auxilia no pós-operatório e tratamento do câncer de próstata, 2018. Acesso em: 11/11/2019. Disponível em: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/fisioterapia-auxilia-no-posoperatorio-e-tratamento-do-cancer-de-prostata/12450/7/ 

Autora: Letícia Noelle Corbo – Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto – USP. Mestranda do Programa de Pós Graduação em Enfermagem Fundamental da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP-USP). Especialista em Oncologia pelo Hospital Israelita Albert Einstein. Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/8624667334893564 

Profa. Dra. Fabiana Faleiros Santana Castro – Professora Associada da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da USP, no Departamento de Enfermagem Geral e Especializada. Líder do Núcleo de Pesquisa e Atenção em Reabilitação Neuropsicomotora (Neurorehab). 

Profa. Dra. Marislei Sanches Panobianco – Professora Associada do Departamento Materno-Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Coordenadora do Núcleo de Ensino, Pesquisa e Assistência na Reabilitação de Mastectomizadas – REMA, da EERP-USP. 

Profa. Dra. Soraia Assad Nasbine Rabeh – Professora Doutora Efetiva do Departamento de Enfermagem Geral e Especializada da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo na graduação e pós-graduação. 

Última modificação :

8 thoughts on “Reabilitação vesical pós câncer de próstata

  1. José Cláudio de Lima Carvalho says:

    Estas informações são impotentes para que a população tenha conhecimento de como é fundamental a visita ao urologista periodicamente. A prevenção sempre foi o melhor remédio. Parabéns a esses profissionais da saúde que se preocupam em dar informações.

    • Leticia Corbo says:

      Olá Tânia! Obrigada pelo retorno, ficamos felizes por ter gostado de nossa matéria!
      Esperamos que esteja aproveitando nossos conteúdos!
      Equipe D+Informação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content