IFSC – Biossensor detecta marcador sanguíneo de Alzheimer

Pesquisadores da USP do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) criaram um biossensor capaz de detectar os biomarcadores sanguíneos do Alzheimer.

Este método, permite a identificação das proteínas Fetuína-B e Clusterina, que quando encontradas em grande quantidade no sangue, auxiliam no diagnóstico do mal de Alzheimer.

O biossensor consiste em um dispositivo de papel, onde nanopartículas de ouro complexadas à anticorpos especificadamente para os biomarcadores citados. Ao entrar em contato com a gota de sangue da pessoa examinada, o mesmo escorre em direção aos anticorpos e com isso, as proteínas Fetuína-B e Clusterina são ligadas as nanopartículas de ouro, mudando a cor do papel para rosa.

Ressalta-se que o dispositivo ainda não foi testado com sangue, apenas com as proteínas estudadas. Os pesquisadores esperam que com o resultado do teste rápido com os biossensores auxiliam no diagnóstico e tratamento precoce por baixo custo do mal de Alzheimer.

Fonte: Jornal da USP

Última modificação :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content