Montanha russa

A legislação brasileira assegura à pessoa com lesão medular diversos direitos, incluindo a promoção da acessibilidade e benefícios previdenciários. Porém, empiricamente, esses direitos ainda não são suficientes para a integração igualitária das pessoas com LM à sociedade civil. A possível sensibilização da população acerca dos desafios que estas pessoas enfrentam em sua realidade cotidiana pode desencadear, a médio e longo prazo, maior preocupação com aspectos relacionados à acessibilidade de locais públicos e privados, por parte da sociedade civil e organizada, cumprindo desta forma direitos já legalmente garantidos. É comprovado a partir de estudos realizados que a acessibilidade ineficiente ou inexistente em diferentes locais faz com que as pessoas com LM se sintam excluídas e deixem de participar/interagir socialmente em ambientes inacessíveis e pouco inclusivos. Além dos buracos nas ruas, degraus, calçadas irregulares e rampas íngremes, as pessoas depararam-se com entulhos, carros sobre as calçadas, objetos que os impedem de locomover-se com autonomia e sozinhos. O Ministério da Saúde salienta que a acessibilidade significa permitir a autonomia e maior independência para essas pessoas, facilitando a retomada da identidade.

Fonte: Artigo OriginalRev. Eletr. Enf. 2018;20:v20a58. doi: 10.5216/ree.v20.53538.Experiências de (in)acessibilidade vivenciadas por pessoas com lesão medular

Última modificação :

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content